Gentilezas Urbanas2

Arquitetos de SC lançam manifesto por espaços com interação social

Notícias

Uma articulação de arquitetos para provocar o mercado imobiliário e oferecer espaços mais amigáveis é o que está no cerne do manifesto ‘Gentilezas Urbanas’, da qual faz parte a regional catarinense da Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetura (AsBEA/SC). O documento coroa a primeira década de existência da instituição e nesta entrevista a arquiteta Tatiana Filomeno, presidente da entidade, fala sobre como ele surgiu, que ações práticas já estão em discussão e o que a associação pretende com a iniciativa.

Como os arquitetos percebem a cidade atual e como ela poderia ser transformada para se tornar um lugar mais agradável?
Tatiana Filomeno – Em nossas cidades o que vemos são, em geral, espaços segmentados que não interagem, sem transição entre o público e o privado, resultando numa paisagem fragmentada. Queremos oferecer edifícios que conversem entre si e com o entorno, mais permeáveis e compartilhados entre pedestres, modais alternativos e pequenas praças. Trata-se de um novo olhar sobre a cidade.

Como surgiu a iniciativa ‘Gentilezas Urbanas’?
Tatiana Filomeno – Uma das preocupações do arquiteto e urbanista é qualificar os espaços para que se tornem cada vez mais atrativos, tanto àqueles que os utilizam diretamente quanto aos que o têm apenas como parte, mesmo que visual, da cidade. Dentro dessa premissa lançamos o manifesto, com o objetivo de provocar o mercado imobiliário a oferecer não somente construções, mas também locais que dialoguem e promovam a interação social por meio da arquitetura de qualidade.

Quais exemplos práticos de gentilezas urbanas já foram desenvolvidos?
Tatiana Filomeno – Duas propostas foram apresentadas no 6º Seminário Internacional sobre Comunidades Planejadas e Loteamentos (Complan), realizado recentemente. A primeira é na rodovia SC-401, no norte da Ilha, que ganharia passeios públicos, otimização do transporte coletivo e mais conectividade com as vias próximas aos bairros Saco Grande e João Paulo. Outra é a revitalização da rua Bocaiúva, com faixas elevadas, passeio compartilhado e valorização paisagística. Ambos os projetos serão doados ao poder público, que contaria com investimentos privados para que se tornem realidade.

Qual o objetivo da AsBEA/SC em participar dessa articulação?
Tatiana Filomeno – Em nosso manifesto expressamos o norte para todos os que desejam promover gentilezas urbanas: ir além da obrigação, proporcionando relações mais humanas e criando experiências para pessoas que se relacionam direta e indiretamente com os empreendimentos. Queremos oportunizar um maior convívio e inspirar empreendedores, arquitetos e urbanistas a serem ativos na qualificação dos espaços. Acreditamos na soma de nossas competências para contribuir para esta transformação e estamos aqui para convidá-los a serem protagonistas desta história. O resultado é benéfico para todos.

Nuovo Design